A intensa trilha do Peito do Pombo

Foram 1400 metros de altitude, 5h20 (ida e volta) de esforço e superação, 15 km de suor e fadiga. Mas tudo valeu à pena! Tudo valeu muito à pena!
A trilha do Peito do Pombo, localizada dentro da APA de Sana, no município de Macaé, é um dos percursos mais famosos do estado do Rio de Janeiro. Eu, como bom trilheiro, não podia deixar essa passar, então… juntei bons amigos e fomos em busca de conquistar esse percurso.

Posso dizer que a caminhada foi hard, mas o visual lá de cima recompensa o cansaço. Vou contar detalhadamente para vocês como foi a experiência nessa trip.

Fomos para sana passar o fim de semana, queríamos curtir o local e não só o Peito do Pombo. No sábado, rodamos por todas as cachoeiras e pela vila. No domingo, acordamos bem cedo, e fomos em busca da nossa “missão”. Querendo saber mais sobre minha volta pelas cachoeiras clique nesse link.
Mata adentro
O primeiro trecho de mato é relativamente bem leve, é uma subida que leva também para as cachoeiras, ou seja, muita gente passa por essa parte tranquilamente. É, basicamente, seguir reto. Depois de passar pelas porteiras das cachoeiras você irá passar também por uma pousada e por um sítio, os dois com as placas bem fáceis de serem avistadas.

O segundo trecho de mato já não é tão fácil, apesar da subida continuar sendo praticamente no mesmo nível, começam aparecer bifurcações. A dica é sempre ir para a direita. Não sei para onde os outros caminhos irão dar, mas sei que pela direita você irá chegar no rio, depois de caminhar bastante e passar por algumas porteiras. Ah… se tiver chovido no dia anterior, esta é a parte do percurso onde você vai encontrar mais lama.

Passando pelo rio
A parte do rio é bem fácil, dá para passar tanto pelas pedras quanto por dentro do rio, molhando apenas os pés. Mas depois de passar que complica, é a parte que as pessoas geralmente se perdem, inclusive eu (risos). Se não fosse um amigo local ter nos gritado e orientado, talvez nunca tivéssemos achado a entrada certa.

Assim que você sair do rio dará de cara com uma placa azul, cheia de avisos, é aí que você deve passar, dê a volta em torno dos arames. Não fique procurando uma porteira, pois ela não existe mais.

O pasto e o boi bandido
No pasto a subida já começa a ficar um pouco mais íngreme, mas não é isso que assusta. O que assustou a gente foi um boi, em especial, que, ao contrário dos outros, estava mugindo bastante e pronto para o ataque. Então caminhe com atenção e rapidez.

Subindo pela floresta
A subida mais intensa de toda a trilha começa neste local. É bem íngrime e com degraus naturais bem espaçados, por isso a força nas pernas se faz muito necessária. Além disso, há pelo menos 3 pontos que precisam do auxílio de corda para subir.

Depois de passar por todas estas etapas, é só subir a pedra e “partir para o abraço”, seu objetivo terá sido conquistado. Terá duas opções de mirantes: o debaixo da pedra, que mostra o incrível visual de sana, e um mirante um pouco mais alto, que dá uma vista especial para a Pedra do Peito do Pombo.

Ficamos lá em cima um pouco, curtindo a paz do lugar, mas não demoramos muito, pois estava bem frio e tínhamos hora para voltar. A descida foi bem mais fácil e rápida.

Depois de todo esse percurso, só pude agradecer a Deus pela oportunidade que tive e vir aqui indicar para vocês essa inesquecível trilha.

Ps: Se, por algum momento, achar que pode se perder procure um guia. Melhor pagar e ser guiado corretamente, do que passar horas perdido na mata e precisar de socorro.
Como chegar

Carro: Chegando em Casimiro de Abreu, o motorista deve seguir pela BR-142, subindo a serra no sentido Nova Friburgo e desviar para Barra do Sana, pegando a Estrada Frade-Sana, passando pelo Portal do Sana, na ponte da Amizade (que cruza o Rio Macaé), até o Arraial do Sana. A Estrada Frade-Sana é uma estrada de terra em péssimas condições, com muitos buracos e pedras. É curta. Tem em torno de 6 km de extensão apenas, mas exige bastante atenção do motorista pra não danificar o carro.

Ônibus:
Chegar de ônibus na região é relativamente fácil, apesar de cansativo. Basta pegar um ônibus para Casimiro de Abreu, saltar na rodoviária, e depois pegar um ônibus direto para Sana, eles passam de 2 em 2 horas. Tenha cuidado para não chegar muito cedo para não ficar mofando e nem muito tarde para não perder o último bus.

A natureza reina em Teresópolis

Localizada no interior do Rio, Teresópolis mostra, com todo seu charme, a harmonia e beleza de uma natureza bem conservada. Em toda sua extensão (repleta de rios, cascatas e rica flora e fauna), dou destaque ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos, uma unidade de conservação situada no maciço da Serra dos Órgãos, que também abrange os municípios de Guapimirim, Magé e Petrópolis.

Sem dúvidas, é um dos melhores parques do país para a prática de esportes de montanha, como escalada, caminhada, rapel e outros. O Parque tem a maior rede de trilhas do Brasil, são mais de 200 quilômetros de trilhas em todos os níveis de dificuldade: desde a trilha suspensa, acessível até a cadeirantes, até a pesada Travessia Petrópolis-Teresópolis, com 30 Km de subidas e descidas pela parte alta das montanhas.
Entre os passeios disponíveis na parte pertencente a Teresópolis, destaco as 4 trilhas que mais gostei:

  • Trilha Suspensa
    Esta famosa trip tem um caminho bem tranquilo de ser percorrido, tendo apenas 1300 metros de caminhada reta. A trilha, iniciada na Praça da Barragem, possui piso de madeira e corrimão, permitindo acesso até a cadeirantes. No trecho final a trilha atinge grandes alturas em relação ao solo (até 8 metros) e permite belas visões da floresta e dos paredões.
  • Trilha Mozart Catão
    É mais uma trilha leve , que nos leva até Mirante Alexandre Oliveira, com vista para a cidade de Teresópolis e o Parque Estadual dos Três Picos, ao fundo. Uma curiosidade é que os nomes da trilha e do mirante é uma homenagem a dois alpinistas da cidade, mortos ao tentar escalar a face sul do Aconcágua, em 1998.
  • Trilha Cartão Postal
    Esta bela trilha, com acesso pela Estrada da Barragem próximo à pousada, cruza área de floresta com belas vistas da montanha e dá acesso a um mirante voltado para a cadeia de montanhas da Serra dos Órgãos, proporcionando ao visitante um novo ângulo de observação do Dedo de Deus do meio da floresta. No caminho é possível observar algumas grandes árvores, como o jequitibá. Apesar de ter apenas 1200 metros alguns consideram esta trilha moderada, pois é uma subida constante em uma escada natural.
  • Trilha da Pedra do Sino
    A Pedra do Sino é o ponto culminante da Serra dos Órgãos com 2.275m e lá do alto a vista alcança toda a Baía de Guanabara, a cidade do Rio de Janeiro e parte do Vale do Paraíba, no lado continental. São cerca de 11 km (cinco a seis horas) de caminhada desde a sede do Parque, em Teresópolis, a 1.100 metros de altitude, até o cume. O primeiro trecho é mais leve, por dentro da mata. Na parte final, a trilha é acidentada.

Para mais informações e detalhes sobre outros passeios acessem o site do parque.

 Preços?

Quando ir?
Todos os dias, das 8h às 17h (todas as sedes). É permitida a entrada no parque entre 6h e 8h e entre 17h e 22h, mediante compra antecipada de ingressos.

Como chegar?
A entrada principal do Parque Nacional da Serra dos Órgãos fica na área urbana de Teresópolis, na Avenida Rotariana s/nº (que interliga a BR 116 Rio-Bahia, na altura do km 89,5 à cidade), com acesso bem sinalizado. A entrada do parque fica ao lado da ponte sobre o Rio Paquequer, na entrada da cidade, próximo ao Mirante do Soberbo e ao Portal da Cidade.

Na BR 116, sentido Rio-Teresópolis, na altura de Magé, existe a praça do pedágio administrado pela CRT, com cobrança bidirecional. Há cobrança de pedágio também no sentido Teresópolis-Magé-Teresópolis.

Paraty: um centro de histórias e aventuras

Chegou o dia de levar mamãe para viajar. E o destino escolhido, por ela, foi Paraty.

Busquei encontrar formas de fazer todos os passeios, mas de um jeito menos desgastante, pois não queria matar minha coroa (rs). Então para quem estiver lendo, saiba que irei citar algumas formas possíveis de fazer os passeios, sendo que as que eu utilizei foram as formas mais práticas e tranquilas.

Paraty é uma cidade do litoral sul do Rio de Janeiro. Um cantinho de calmaria, muitas praias e muita cultura. Aquele lugar que te faz sentir como estivesse vivendo cenas de novelas ou filmes.
16406467_1240493749365089_3678167740395109628_nOpção de ônibus
Existem várias opções de horários de ônibus, da viação Costa Verde, saindo de Niterói ou do Rio de Janeiro. A viagem dura cerca de 4/5 horas.

Opção de hotel
Pensando em um lugar barato e que ficasse perto do centro histórico da cidade, escolhemos o Paraty Hotel. Os pontos ruins do hotel são as camas, que são bem desconfortáveis, e a troca dos lençóis que nunca acontecem. Para o que necessitávamos o hotel foi ótimo, pois chegávamos em tudo com bastante facilidade.

Opção de agência de passeio
Escolhemos a Paraty Tours. Fomos muito bem atendidos e todos os passeios ocorreram da forma que foram pré-estipulados. Só temos elogios a agência e a recomendamos.

ROTEIRO:

QUINTA
Reservamos este dia para nos acomodarmos no hotel e fazermos uma caminhada tranquila pela cidade.

Neste dia conhecemos o Centro Histórico de Paraty, que foi erguido entre os séculos 17 e 19, e está localizado entre o Rio Perequê-Açu e a Baía de Paraty. Ele é formado por casarões coloniais e igrejas. Carros não podem trafegar pelas ruas, que mantém seu calçamento em pedras. É um lugar que tem um visual deslumbrante. Conhecemos também a Praia do Pontal e o Forte Defensor Perpétuo. Dá para chegar facilmente do centro histórico até a praia e o forte, é só atravessar uma pequena ponte e seguir as placas turísticas.

SEXTA
Foi o dia de nos aventurarmos no Jeep tour pelas cachoeiras e alambiques. Neste passeio indico fazer com alguma agência, pois as cachoeiras ficam distantes e tem bastante pedra e lama pelo caminho, irá prejudicar bastante o seu carro.

ALAMBIQUES
Há sete alambiques principais na cidade. O único que resolvemos conhecer foi o Pedra Branca. O valor para o tour guiado é de R$3,00. A experiência é divertida, além de dar a oportunidade de provar muita cachaça de uma vez só (rs). Segue abaixo informações sobre os outros alambiques:
Maria Izabel: Rio-Santos, Km 568 (direção Rio). Agendamento pelo telefone: (24) 99999-9908
Engenho d’Ouro: Estrada para Cunha, Km 8. Tel: (24) 99905-8268
Coqueiro: Rio-Santos, Km 583 (direção Ubatuba). Tel (24) 3371-0894
Paratiana: Estrada da Pedra Branca, Km 1. Tel (24) 3371-6329
Pedra Branca: Estrada da Pedra Branca, Km 1. Tel: (24) 97835-4065
Maré Cheia: Estrada do Jacu. Tel (24) 3371-9377
16473852_1238698016211329_5821134148382112508_nCACHOEIRAS
Nesta imagem você pode conferir as cachoeiras da cidade:
not_med_0000002230Destas destacadas, conheci a Cachoeira da Pedra Branca, do Tobogã, da Usina e a do Tarzan. Apesar da mais famosa ser a do Tobogã, por causa do surf na pedra, a que eu mais gostei foi a Cachoeira da Pedra Branca, pois, além dela contar com dois saltos de cinco metros de altura, nela podemos encontrar pequenas piscinas e duchas naturais, que deixa o clima mais divertido.

SÁBADO
A famosa Vila de Trindade realmente supera as expectativas. Nela podemos encontrar pequenas lojinhas, bons restaurantes e praias maravilhosas. Esse passeio da pra fazer sem agência. Pode-se chegar facilmente no local de carro ou de ônibus.
2Destaco:

Praia Brava
A praia fica logo no início da estrada de Trindade. A trilha dura cerca de 30 minutos e é cercada de Mata Atlântica.

Praia do Cepilho ou Praia de Fora ou Praia dos Ranchos
É uma praia dividida em três partes, em cada parte ela tem um nome diferente. Na parte mais movimentada, a preferida dos surfistas, é conhecida como Cepilho. A Praia de Fora é uma ligação entre as praias do Cepilho e a dos Ranchos. E a praia dos Ranchos é a parte mais tranquila, onde geralmente ficam as famílias.

Praia do Meio
Esta é a praia mais famosa e cheia de Trindade. Seu acesso é tranquilo. É por ela onde podemos fazer a trilha para chegar no Cachadaço ou pegar o barco para ir direto para a Piscina Natural. Nesta praia também existe a possibilidade de passear de stand up ou caiaque.

Praia do Cachadaço
É a praia mais bonita de Trindade e também a mais perigosa. Pela praia pode-se observar diversas bandeiras vermelhas, avisando sobre os perigos do local. Para chegar até ela é preciso pegar uma trilha, que começa na Praia do Meio, subindo a encosta. A trilha é bem tranquila com corrimão de madeira e degraus feitos com pedras e raízes de árvores. São cerca de 15 minutos de trilha sem grandes obstáculos, mas cuidado com os dias chuvosos, pois o local fica cheio de lama.

Piscina Natural
Para chegar a Piscina Natural é necessária fazer mais uma trilha. Achamos essa trilha uma pouco mais difícil que a anterior. A trilha dura cerca de 20 minutos mata adentro. Como já foi citado, também é possível chegar ou sair deste local de barco. O barco tem o valor de R$30,00 (para ida e volta) ou R$15,00 (para quem deseja apenas a volta).


DOMINGO
Para fechar o passeio em alto nível, fomos passear de Escuna. Existem diversos tipos de circuito, escolhi o que passa pela Ilha Comprida, Praia da Lula, Lagoa Azul e Praia Vermelha. Além de ser o circuito mais famoso é o que tem mais elogios pela web.

Foi uma viagem inesquecível. Viajar em família pode ser tão bom quanto viajar com amigos ou namorada (o), basta você se permitir a essa possibilidade. Curta a sua família, aproveite os momentos bons!

Petrópolis: o lado imperial do Rio

Aproveitando o friozinho do inverno e que estava acontecendo o Bauernfest, resolvi ir para Petrópolis. Além de curtir a festa, também busquei conhecer um pouco mais da cidade histórica. Lá pode ser encontrada muitas das construções da época em que Dom Pedro II passava longas temporadas no destino. Muitos centros culturais funcionam em antigos palacetes e casarões do século 19. O Ministério da Saúde adverte: O frio de Petrópolis nos faz comer muito =x
13534547_1127788817243590_1897205136_nUm pouco dos lugares que conheci:

Museu Imperial
untitled-2-01
O Museu Imperial é um museu histórico-temático localizado no centro histórico da cidade de Petrópolis. Está instalado no antigo Palácio de Verão do imperador brasileiro Dom Pedro II. No lugar podemos encontrar um arsenal de quadros, mobiliários e joias da família imperial. Além disso, o lugar também conta com um ótimo jardim para fazer piquenique ou relaxar. O horário para visitação é de terça a domingo, das 11h às 18h, e os ingressos custam inteira: R$10,00 e Meia: R$5,00. A única coisa ruim do lugar é o fato de não podermos tirar nenhuma foto na parte interna do museu.

Catedral de Petrópolis

untitled-21-01
A Catedral é dedicada a São Pedro de Alcântara, padroeiro da cidade e da Monarquia Brasileira. Local certo de parada de todos os visitantes, religiosos ou não. Todo mundo quer tirar uma boa foto da linda estrutura, tanto de dia quanto de noite.

Museu Casa de Santos Dumont

untitled-22-01
O local, bem pequenino, foi residência de verão de Alberto Santos Dumont, Pai da Aviação, sendo conhecida como “A Encantada”. O museu conta com acervo de objetos, livros, cartas e mobiliário, bem como o chuveiro e a escada de entrada, com degraus em forma de raquete, que só se pode acessar começando com o pé direito. No Centro Cultural 14 bis, anexo à Casa, pode-se assistir a um curta metragem sobre Santos Dumont. O espaço tem acessibilidade e maquetes táteis para visitantes com necessidades especiais. A visitação do lugar acontece de terça a domingo, das 9h às 17h30 (bilheteria até as 17h). Ingressos: R$8,00 (inteira) / R$4,00 (meia entrada).

Cervejaria Bohemia

untitled-233-01
A Cervejaria Bohemia, fundada pelo alemão Henrique Kremer em 1853, é a primeira cerveja pilsen a ser produzida no Brasil. Apelidada pela família real de “Ouro liquido” pelo seu sabor apurado, se tornou uma marca da cidade de Petrópolis. O espaço mostra aos visitantes de forma interativa e lúdica a história, ritos, mitos e curiosidades. O complexo da Cervejaria Bohemia contempla produção in loco de suas variantes: Weiss, Escura, Confraria e Pilsen e de edições especiais da marca. Além disso, terá sempre em primeira mão para degustação dos visitantes várias criações do Mestre Cervejeiro exclusivo de Bohemia antes delas irem para o mercado. O horário de funcionamento ocorre às terças, quartas e quintas, das 13h às 16h30. Sextas, das 10h às 16h30. Sábados, domingos e feriados nacionais: das 10h às 18h30. A entrada custa R$ 27 (inteira) | R$ 13,50 (meia). Fato importante: eu, com minhas manias esquisitas, tenho costume de guardar algo de todo lugar que vou, então algo legal para guardar desse lugar é a garrafinha de cerveja personalizada.

Palácio de Cristal
img-20160626-wa0009
O Palácio tem a visitação guiada aberta, de forma gratuita, de terça a domingo, de 09h às 18h, e aos sábados conta com apresentações de danças folclóricas alemãs, a partir de 15h. Sua estrutura pré-moldada em ferro foi encomendada a uma fundição francesa pelo Conde D’Eu, sendo montada em Petrópolis pelo engenheiro Eduardo Bonjean. Foi inaugurado em 1884 com a finalidade de abrigar as já tradicionais exposições de produtos hortícolas e pássaros da região, que aconteciam em instalações provisórias no local. No Palácio, em abril de 1888, com a presença da Princesa Isabel foram libertados os últimos escravos de Petrópolis, em uma bela festa. Hoje recebe eventos culturais e exposições diversas.

Bauernfest (Para fechar com chave de ouro)
img-20160626-wa0028
Participei da 27ª edição da Festa do Colono Alemão de Petrópolis. A atração é a segunda maior do gênero no Brasil, o evento resgata as raízes germânicas da cidade com a chegada dos primeiros alemães em 1845. Marcada por muita dança e música folclórica, culinária típica e atrações culturais, a festa é a maior da cidade.

A dica é ir na época da festa, rodar os museus durante o dia e curtir a festa durante o período da noite.

 

 

Santa Teresa (RJ)

O bairro de Santa Teresa fica no alto de uma colina recortada pelos trilhos do bondinho elétrico, que voltou a circular gratuitamente de segunda a sábado, das 11h às 16h. É um local repleto de largos e espaços culturais, que conta também com sobrados que abrigam ateliês, lojinhas de artesanato, bares e restaurantes. Um lugar multicultural.

Além do bonde, existe outra forma de chegar e descer do local que é muito popular. Essa é para quem opta por chegar até lá a pé e quer ter a oportunidade de conhecer a mais famosa escadaria da cidade – a Selarón, com 215 degraus recobertos de mosaicos de cerâmica nas cores verde, amarelo e azul. A escada foi batizada com o nome do artista plástico chileno que assina a obra. São 125 metros de escadaria.
dsc_0668Chegando lá a dica é ir direto pro Parque das Ruínas, casarão onde morou Laurinda dos Santos Lobo, é o ponto mais famoso do local, ou seja, é o que fica mais lotado. O lugar além de uma estrutura fascinante, conta também com sala de exposições, auditório para 100 pessoas, um palco de 88 metros quadrados, e cafeteria, que funcionam sob programação especial.
blog-01Do parque vá caminhando para o Museu da Chácara do Céu, bem ao lado (bem pertinho mesmo rs). A entrada custa apenas R$2 e ali está a coleção particular do empresário Raymundo Ottoni de Castro Maya, que morava no local, redesenhado em 1954 em linhas modernistas integradas a um jardim de onde também se avista em 360 graus a Baía de Guanabara.
blog-2-01E para fechar o passeio com chave de ouro vá para o Largo dos Guimarães, lá é o point gastronômico do bairro. A minha dica para esse momento é o Bar do Mineiro, ele é ótimo! Mas o bar já está bem popular, então a chance de estar lotado é bem grande. Antes de decidir verifique todas as possibilidades, são muitas.

Penedo (RJ)

Penedo está localizado às margens da Rodovia Presidente Dutra (BR-116) que liga o Rio de Janeiro a São Paulo. Além de ser uma das mais belas paisagens do país, o vilarejo oferece uma vasta e variada rede hoteleira, restaurantes de alta qualidade, lojas de artesanato e um comércio local diversificado. É ideal para quem quer ir relaxar e esquecer os problemas, também é ótimo para passeios românticos.
10450927_655220321225771_460727609587513316_nPasseando pela cidade você pode viver alguns momentos agradáveis visitando o parque “Pequena Finlândia” que reproduz fielmente uma pequena cidade finlandesa. Inclusive no local você pode falar com o próprio Papai Noel, é só visitar a “Casa do Papai Noel”. Os museus raramente abrem, então não vá contando com esse passeio.  Os restaurantes e as fábricas de chocolate são os principais destaques da cidade, a comida é ótima, os chocolates são muito saborosos e os melhores restaurantes são os alemães.

Na cidade você também pode realizar passeios pela natureza, é só ir visitar o Pico do Penedinho. Uma trilha de cerca de 600 metros de extensão leva o turista ao topo do pico, de onde se pode avistar não só Penedo, como também as regiões vizinhas (centro de Itatiaia e Resende), além da Parte Baixa do Parque Nacional de Itatiaia. Penedo conta também com cachoeiras acessadas por trilhas menores.

Dicas
No período da noite a cidade praticamente não tem programação, então caso você esteja acompanhado (a), compre bastante comida e vá para o quarto aproveitar o friozinho debaixo das cobertas.

Os táxis da cidade tem preço fixo, qualquer lugar dentro da cidade que você queira ir será o mesmo preço. Na época em que fui esse valor era de R$20,00.
10431465_655220314559105_5355128171708824418_n

Levando mamãe ao Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Hoje foi dia de levar mamãe ao Jardim Botânico do Rio de Janeiro. O local possui um dos mais importantes centros de pesquisa mundiais nas áreas de botânica e conservação da biodiversidade.
dsc_1199Chegando lá, encontramos um local muito diversificado e tivemos a oportunidade de observar mais de 6 500 espécies de plantas, distribuídas em uma grande área de 54 hectares. O local fica aberto de 08h às 17h e tem o ingresso no valor de R$15 reais.

Entre as figuras de maior destaque de lá estão: O Chafariz Central (Chafariz das Musas), a Casa dos Pilões, o Orquidário, o Jardim Japonês, o Museu do Meio Ambiente (primeiro da América Latina que se dedica à temática socioambiental), e a famosa Palmeira-imperial (local popular por fotos famosas e cenas em novelas).

Você sabia?
Duas curiosidades que achei interessante compartilhar:

1º: O Chafariz das Musas não tem bomba para puxar a água. O sistema hídrico do equipamento conta apenas com a força da gravidade para fazer a água jorrar.
2º: A casa mais antiga da Zona Sul ainda de pé é o Centro de Visitantes do Jardim Botânico. Construída em 1576, ela era a sede do Engenho de Nossa Senhora da Conceição da Lagoa.

Como chegar?
Ônibus: Todas as linhas de ônibus que passam pelo Jockey têm ponto na Rua Jardim Botânico nº 1008.

Metrô: Os usuários do metrô podem pegar o ônibus de integração na Estação Botafogo e saltar na Rua Jardim Botânico nº 728, entrando no Jardim pela Rua Pacheco Leão nº 101. Para ir embora, o ônibus de integração para no ponto das tribunas do Jockey Clube, em frente à Praça Santos Dumont. Para os que saírem pela Rua Pacheco Leão nº 101, o ponto mais próximo está localizando na Rua Jardim Botânico nº 667.

Feira de São Cristóvão (RJ)

No período de festas juninas, uma ótima sugestão é ir na Feira de São Cristóvão, também conhecida como Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas ou Feira dos Paraíbas. O local ganhou nova roupagem, conta com aproximadamente 700 barracas, dois palcos para shows, praça de repentistas, museu e ótimos restaurantes.
dsc_0786-copiarO espaço, que funciona de sexta a domingo com programação ininterrupta, é um pedacinho do Nordeste no Rio de Janeiro. Além de ter uma ótima infraestrutura, lá também encontramos um povo animado, bem-disposto a comer, se divertir e dançar um forró. O local também funciona de terça a quinta-feira, porém é só para almoço.

Ótimo lugar para o povo do norte e do nordeste matar a saudade de casa, e também para o pessoal dos outros estados conhecerem um pouquinho das tradições nordestinas. A gastronomia do Nordeste é o que mais me atrai no local, comi um belo baião de dois com carne de sol no almoço, além de diversos doces durante o resto do dia. Adoro comer e um doce que nunca tinha provado e conheci no local foi a bala de cana, muito boa por sinal.

Não deixe de conhecer esse cantinho paraíba do Rio, vá a feira. Custa apenas R$ 5 reais, a meia-entrada.
untitled-1-01

Museu de Arte Moderna (RJ)

O museu que fica localizado no Parque do Flamengo, próximo ao Aeroporto Santos Dumont, apresenta uma estrutura inovadora.  Sua arquitetura é a obra mais conhecida do arquiteto carioca Affonso Reidy.  Apesar de o lugar ser lindo e contar com uma natureza alucinante, o local também está habitado por muitos moradores de rua, o que afasta um pouco o público, por medo de possíveis assaltos.
dsc_0750O espaço fica aberto à visitação de terça a domingo e conta com três andares de exposições. Achei o ingresso, no valor de R$14,00 reais, um pouco caro se compararmos com o preço das entradas dos outros museus do Rio.

Ainda assim, é um ponto turístico marcante e fundamental para quem quer fazer um tour completo pela cidade.

História
O episódio mais marcante da história do MAM ocorreu no dia 8 de julho de 1978, quando um incêndio causado ou por um cigarro ou por uma falha elétrica, destruiu 90% de seu acervo, principalmente obras de Picasso (cabeça cubista e um Retrato de Dora Maar), Miró, Salvador Dalí, Max Ernst, René Magritte, Ivan Serpa, Manabu Mabe e muitos outros, além de todos os trabalhos presentes em uma grande retrospectiva de Joaquin Torres García.

Após extensos trabalhos de restauração o Bloco de Exposições voltou, em 1982, ao funcionamento. Entre 1993 e 2002, o museu recebeu doações de coleções particulares de Gilberto Chateaubriand, cerca de 4.000 obras, inclusive telas de Cândido Portinari, Tarsila do Amaral, Lasar Segall, Di Cavalcanti e gravuras de Oswaldo Goeldi, entre outras.
dsc_0761

Museu do Amanhã: o futuro está logo ali

Ancorado no Píer Mauá e vizinho do Museu de Arte do Rio (MAR), o Museu do Amanhã é o novo polo de cultura do Rio de Janeiro. O espaço tem por fora uma arquitetura inovadora assinada pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava e que foi inspirada nas bromélias do Jardim Botânico. Por dentro, zonas interativas, uma sala de cinema 360 graus, e diversas peças culturais tecnológicas.
Além de tudo que já foi citado, o Museu também conta com um auditório que possui 400 lugares a serem utilizados para palestras e apresentações artísticas, um salão de exposições com 600 m² e um restaurante com vista panorâmica. Quem quiser almoçar no local poderá observar um monumento (denominada como diamante estrela semente ) na parte de trás do museu.

O edifício que foi inaugurado em 17 de dezembro de 2015 e recebeu cerca de 25 mil visitantes em seu primeiro final de semana de funcionamento, tem a proposta de ser um museu de artes e ciências, além de contar com mostras que alertam sobre os perigos das mudanças climáticas, da degradação ambiental e do colapso social. O edifício conta com espinhas solares que se movem ao longo da claraboia, projetada para adaptar-se às mudanças das condições ambientais.

O espaço está aberto para visitação de terça a domingo, das 10h às 17h, e tem o ingresso no valor de R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). As terças a entrada é gratuita.