Morro das Andorinhas (Niterói/Rj)

A leve trilha do Morro das Andorinhas, que leva esse nome devido a uma gruta localizada em seu topo onde as andorinhas costumavam se reunir e fazer seus ninhos, nos possibilita ver Niterói por diferentes ângulos.
dsc_1049A trilha, localizada dentro do Parque Estadual da Serra da Tiririca (PESET), nos dá duas possibilidades de paisagens: uma vista é para o lado da Praia de Itacoatiara, Costão e Pedra do Elefante, e a outra vista é para as praias de Itaipu, Camboinhas, o canal que as divide e a Laguna, pegando ainda um pedaço da praia de Piratininga. O percurso completo dura cerca de 30 minutos.
dsc_1064Como chegar?
Pegue o ônibus 38 Itaipu no terminal de Niterói e desça no ponto final, que é a própria praia de Itaipu, ou, para que vem do Rio, pegue o ônibus 770 Itaipu/Itacoatiara e, também, desça no ponto final. Depois de descer do ônibus, você deve subir a Travessa B. para acessar o início da trilha. Quando avistar uma Igreja, mantenha-se a direita, entrando na Rua da Amizade.

Quem for de carro deve parar logo antes da ruela principal, na Rua da Amizade.

Fiz um amigo!
Logo depois da trilha fui dar um mergulho na praia e acabei encontrando esse “serumaninho”  (rs)
dsc_1076

Enseada do Bananal (Niterói/Rj)

A trilha é super leve, dura cerca de 20 minutinhos, mas tem um visual lindo. Para quem achar que fazer só esta trilha é pouco, faça que nem eu fiz, logo em seguida suba o Costão de Itacoatiara. Os dois ficam localizados no Parque Estadual da Serra da Tiririca.
img_20160709_124842A Enseada do Bananal é formada por uma região de muitas pedras. A região também é frequentada por escaladores. A trilha para chegar até a enseada inicia-se pelo mesmo caminho que vai para o topo do Costão. Após 10 minutos de caminhada, chega-se em uma trifurcação. Para a direita, segue-se até o topo do Costão e para a esquerda segue para a Agulha Guarischi. O caminho a ser seguido é o do meio, em uma descida que continuará por mais alguns minutos até chegar à enseada.

Chegando lá, temos o contato direto com o mar e uma visão das formações rochosas que compõe a região, incluindo uma visão diferenciada do Costão. Subindo o bloco rochoso pelo seu acesso lateral, haverão dois pontos para a montagem do rapel, um com 31 metros de rapel predominantemente negativo (sem contato com a rocha) e outro com rapel positivo (com contato com a rocha), de 27 metros. A saída do rapel na maior via é realizada em um ângulo de 90º, exigindo atenção e também alguma proteção para a corda. A descida é realizada próximo ao mar, nos blocos de pedras existentes.