Carnaval Ouro Preto 2018

Carnaval é aquele período onde a alegria transborda e os momentos são inesquecíveis.

O que mais me chama atenção nessa época, é o bom humor geral. Você pode estar na fila de um mercado ou em um ônibus lotado que as pessoas irão estar de bem com a vida. É um momento quase mágico, parece que a vida não tem problemas. Nos sentimos iguais.

Por tudo isso, escolher onde passar essa data é uma tarefa difícil. Não podemos errar. Já pensou passar uma semana de carnaval em um lugar que não tem nada pra fazer? Me dá até calafrios.

Depois de muito refletir, eu e meus amigos escolhemos Ouro Preto. Posso dizer tranquilamente que não me arrependo da escolha. Depois de um início duvidoso, a cidade mostrou o que tem de melhor. Foram blocos e festas marcantes regadas ao som de muita música e bebidas.

Lhe garanto que depois de muita zoeira e pegação a República “Saudades da Mamãe” nunca mais será a mesma!
Concluo afirmando que aos poucos vou aprendendo que eu posso estar no Rio ou em Minas, na Bahia ou no Recife, mas o que faz o meu Carnaval ser inesquecível são as pessoas que estão comigo nos momentos de risos e brincadeiras. Obrigado “time” por ter feito essa data ser mais um momento marcante em minha vida!

Bravus Race, uma história de superação

Neste final de ano, resolvi encarar a segunda etapa Speed da Bravus Race no Rio, evento que se tornou popular pelo grande esforço necessário para concluí-lo. As provas da Bravus têm como inspiração os treinamentos militares e desafiam os competidores a testarem seus limites, o condicionamento físico e, ainda, superarem obstáculos com técnica e muita força. Resumindo, é um evento pesado para qualquer ser humano normal, imagina então se a poucos meses da corrida você estiver doente, preocupante, né? Vou te contar como foi minha experiência.

Tudo foi programado com muita antecedência, mas nunca imaginaria que a 2 meses do evento eu estaria doente e sem previsão de melhora. Graças a Deus me recuperei a tempo e consegui malhar por duas semanas para ganhar um mínimo de peso e condicionamento físico. Foram 5km de corrida com 15 obstáculos diversificados.

Tomei choque de 1000 volts, afundei numa bacia d’água congelada, escalei, escorreguei tentando subir uma rampa de skate, carreguei muito peso nas costas, entre outras mil coisas. E mesmo chegando desgastado, no final a recompensa foi gigantesca. Foram 58 minutos de muito esforço e superação.

Não poderia deixar de concluir este texto, falando que existem coisas que só tem graça se tivermos um grande amigo ao lado. Este é um daqueles eventos que te leva aos seus limites, mas também te dá a oportunidade de ajudar, apoiar e vencer com seus parceiros. Na Bravus, certamente passei por diversos obstáculos porque tinha um grande amigo me incentivando por perto, dizendo: – vai lá, você consegue!

Um irmão é um amigo que Deus lhe deu, um amigo é um irmão que seu coração escolheu.

Pearl Jam no Maracanã

O show do Pearl Jam no Maracanã, na noite de domingo (22/11), vai ficar marcado na história. A banda que já havia passado por diversos estados do país, guardou a sua melhor apresentação pro Rio de Janeiro. O grupo, que é formado pelo cantor Eddie Vedder , pelos guitarristas Mike McCready e Stone Gossard, pelo baixista Jeff Ament e pelo baterista Matt Cameron, além do tecladista havaiano Boom Gaspar, foram muito generosos com o público.
dsc_0333O evento, que teve aproximadamente 50 mil pessoas, começou de uma forma bem “morna”, pois além de ter tido 1 hora de atraso, iniciou a apresentação com a banda cantando “Oceans” que não é uma música tão popular. Entretanto, logo depois, o show começou a subir de nível de uma forma inabalável. A banda além de ter sido de uma simpatia incrível, tocou todos os seus principais sucessos como “Alive”, “Jeremy”, “Last kiss”, “Better Man”, entre outras.

A apresentação teve diversos pontos interessantes. Os que ficaram mais destacados na minha memória foram à apresentação de Edu, um fã da banda que teve oportunidade de cantar junto com eles (e mandou super bem), e a demonstração afetiva (em todos os momentos) pelos acontecimentos ocorridos na França, desde o bumbo da bateria de Cameron, que tinha uma Torre Eiffel, até o fato do vocalista cantar de uma forma linda a canção “Imagine”, emocionando a todos que estavam no lugar.

Além de tudo isso que já falei, eu preciso destacar a entrega da banda ao público. Cantar todos os sucessos é emocionante, mandar mensagens positivas é muito espirituoso, mas se entregar ao público é algo único. A banda se divertiu junto com a galera, e isso vai desde Eddie vestir um presente no meio do palco (sunga vermelha, rs), até o grupo tomar a cachaça ypioca saudando o público. Foi incrível!
dsc_0321