A positividade de Sana

Distrito de Macaé, o vilarejo de Sana esbanja paz e positividade. No lugar, além de calmaria e diversão, encontramos um contato íntimo com a natureza, através do famoso circuito das águas, pertencente a Área de Proteção Ambiental do Sana, e a pesada trilha do Peito do Pombo.

Arraial do Sana é bem pequeno, dá para ser percorrido, tranquilamente, a pé, ou seja, é um lugar fácil de se montar um roteiro. Exatamente por esse motivo já chegamos no local bem determinados a fazer o que planejamos: conquistar tudo que pudéssemos em um só fim de semana.
Começamos nossa empreitada indo em direção ao circuito das águas. Para chegar até o início dessa leve trilha, é preciso atravessar uma pequena ponte, andar alguns minutos por uma estradinha de terra, passando por um estacionamento pago, até a guarita de entrada. Nesta guarita o visitante terá que se registrar e pagar um valor de R$10,00 para poder seguir pelas cachoeiras.

Depois de pagar, irá andar poucos minutos e avistará a primeira bifurcação, com uma placa indicando o caminho que leva a Cachoeira do Escorrega. Este tobogã natural ficou muito popular devido a diversão que proporciona e sua acessibilidade a todos os públicos. Como é um local que não oferece grandes riscos, muitas famílias frequentam esta cachoeira.

Já escorregou bastante? Então vamos retornar a trilha principal e seguir adiante. O caminho se torna uma subida um pouco mais íngreme e escorregadia. Em poucos minutos irá aparecer uma segunda bifurcação. Para continuar no circuito das águas o visitante deverá virar à esquerda, passar um portão de madeira e seguir a trilha atravessando um rio. Observe bem as setas indicativas e muito cuidado ao atravessar o rio sobre as pedras.

Passando pelo rio, a trilha vira uma subida um pouco mais íngreme e fica mais fechada. Em pouco tempo de caminhada você irá encontrar uma descida, à direita, que leva ao poço da Cachoeira Mãe (tem esse nome por ser possível visualizar o rosto de Nossa Senhora na queda d’água). Será preciso descer pela rocha com auxílio de uma corda. Lá embaixo tem um bom ambiente onde as pessoas ficam relaxando. Algumas pessoas saltam do alto da rocha direto no poço.
Voltando à trilha, você deverá subir mais um pouco para encontrar a Cachoeira Pai. Uma queda d’água de aproximadamente 15 metros caindo direto num poço bem fundo. Nesse poço também é possível saltar, mas tenha cuidado, já ocorreram acidentes no local, então pergunte aos funcionários se a cachoeira está em condições apropriadas para saltos. Do poço da Cachoeira Pai se tem acesso à Cachoeira Filho. As pessoas costumam descer escorregando por ela até o poço mais abaixo.

Mais à frente, após a Cachoeira Pai, chegamos a última cachoeira: a Cachoeira Sete Quedas. Esta cachoeira é composta por uma queda d’água que segue por 7 degraus em harmonia com a natureza. Essa cachoeira, juntamente com as cachoeiras do Pai, Mãe e Filho, formam o Circuito das Águas. Passando por esta cachoeira, é possível atravessar o rio e subir por uma trilha curta, no meio da mata, que leva até a trilha do Peito do Pombo. Apesar dessa boa possibilidade, preferimos retornar e deixar para fazer esta outra trilha no dia seguinte, bem cedo, com mais calma.
No domingo, assim que o sol nasceu, nos arrumamos e partimos para a trilha do Peito do Pombo, seguindo o caminho sem passar pelas cachoeiras e sem ter que pagar nenhuma taxa. A exaustiva trilha levou cerca de 5h20, ida e volta, e nos presenteou com uma linda vista lá do alto. Posso dizer que essa trilha, de 1400 metros de altitude, merece ser conquistada por todos que passarem pela região. Para quem quiser saber mais detalhes sobre a minha experiência sobre esta trilha é só clicar neste link.
Foquei mais em lhe contar sobre os passeios naturais, até porque é o que tem de melhor no local. Mas saiba que tudo em Sana respira boas vibrações, isso vai da natureza as pessoas, por isso que curto tanto está por lá.

Como chegar

Carro: Chegando em Casimiro de Abreu, o motorista deve seguir pela BR-142, subindo a serra no sentido Nova Friburgo e desviar para Barra do Sana, pegando a Estrada Frade-Sana, passando pelo Portal do Sana, na ponte da Amizade (que cruza o Rio Macaé), até o Arraial do Sana. A Estrada Frade-Sana é uma estrada de terra em péssimas condições, com muitos buracos e pedras. É curta. Tem em torno de 6 km de extensão apenas, mas exige bastante atenção do motorista pra não danificar o carro.

Ônibus:
Chegar de ônibus na região é relativamente fácil, apesar de cansativo. Basta pegar um ônibus para Casimiro de Abreu, saltar na rodoviária, e depois pegar um ônibus direto para Sana, eles passam de 2 em 2 horas. Tenha cuidado para não chegar muito cedo para não ficar mofando e nem muito tarde para não perder o último bus.

Paraty: um centro de histórias e aventuras

Chegou o dia de levar mamãe para viajar. E o destino escolhido, por ela, foi Paraty.

Busquei encontrar formas de fazer todos os passeios, mas de um jeito menos desgastante, pois não queria matar minha coroa (rs). Então para quem estiver lendo, saiba que irei citar algumas formas possíveis de fazer os passeios, sendo que as que eu utilizei foram as formas mais práticas e tranquilas.

Paraty é uma cidade do litoral sul do Rio de Janeiro. Um cantinho de calmaria, muitas praias e muita cultura. Aquele lugar que te faz sentir como estivesse vivendo cenas de novelas ou filmes.
16406467_1240493749365089_3678167740395109628_nOpção de ônibus
Existem várias opções de horários de ônibus, da viação Costa Verde, saindo de Niterói ou do Rio de Janeiro. A viagem dura cerca de 4/5 horas.

Opção de hotel
Pensando em um lugar barato e que ficasse perto do centro histórico da cidade, escolhemos o Paraty Hotel. Os pontos ruins do hotel são as camas, que são bem desconfortáveis, e a troca dos lençóis que nunca acontecem. Para o que necessitávamos o hotel foi ótimo, pois chegávamos em tudo com bastante facilidade.

Opção de agência de passeio
Escolhemos a Paraty Tours. Fomos muito bem atendidos e todos os passeios ocorreram da forma que foram pré-estipulados. Só temos elogios a agência e a recomendamos.

ROTEIRO:

QUINTA
Reservamos este dia para nos acomodarmos no hotel e fazermos uma caminhada tranquila pela cidade.

Neste dia conhecemos o Centro Histórico de Paraty, que foi erguido entre os séculos 17 e 19, e está localizado entre o Rio Perequê-Açu e a Baía de Paraty. Ele é formado por casarões coloniais e igrejas. Carros não podem trafegar pelas ruas, que mantém seu calçamento em pedras. É um lugar que tem um visual deslumbrante. Conhecemos também a Praia do Pontal e o Forte Defensor Perpétuo. Dá para chegar facilmente do centro histórico até a praia e o forte, é só atravessar uma pequena ponte e seguir as placas turísticas.

SEXTA
Foi o dia de nos aventurarmos no Jeep tour pelas cachoeiras e alambiques. Neste passeio indico fazer com alguma agência, pois as cachoeiras ficam distantes e tem bastante pedra e lama pelo caminho, irá prejudicar bastante o seu carro.

ALAMBIQUES
Há sete alambiques principais na cidade. O único que resolvemos conhecer foi o Pedra Branca. O valor para o tour guiado é de R$3,00. A experiência é divertida, além de dar a oportunidade de provar muita cachaça de uma vez só (rs). Segue abaixo informações sobre os outros alambiques:
Maria Izabel: Rio-Santos, Km 568 (direção Rio). Agendamento pelo telefone: (24) 99999-9908
Engenho d’Ouro: Estrada para Cunha, Km 8. Tel: (24) 99905-8268
Coqueiro: Rio-Santos, Km 583 (direção Ubatuba). Tel (24) 3371-0894
Paratiana: Estrada da Pedra Branca, Km 1. Tel (24) 3371-6329
Pedra Branca: Estrada da Pedra Branca, Km 1. Tel: (24) 97835-4065
Maré Cheia: Estrada do Jacu. Tel (24) 3371-9377
16473852_1238698016211329_5821134148382112508_nCACHOEIRAS
Nesta imagem você pode conferir as cachoeiras da cidade:
not_med_0000002230Destas destacadas, conheci a Cachoeira da Pedra Branca, do Tobogã, da Usina e a do Tarzan. Apesar da mais famosa ser a do Tobogã, por causa do surf na pedra, a que eu mais gostei foi a Cachoeira da Pedra Branca, pois, além dela contar com dois saltos de cinco metros de altura, nela podemos encontrar pequenas piscinas e duchas naturais, que deixa o clima mais divertido.

SÁBADO
A famosa Vila de Trindade realmente supera as expectativas. Nela podemos encontrar pequenas lojinhas, bons restaurantes e praias maravilhosas. Esse passeio da pra fazer sem agência. Pode-se chegar facilmente no local de carro ou de ônibus.
2Destaco:

Praia Brava
A praia fica logo no início da estrada de Trindade. A trilha dura cerca de 30 minutos e é cercada de Mata Atlântica.

Praia do Cepilho ou Praia de Fora ou Praia dos Ranchos
É uma praia dividida em três partes, em cada parte ela tem um nome diferente. Na parte mais movimentada, a preferida dos surfistas, é conhecida como Cepilho. A Praia de Fora é uma ligação entre as praias do Cepilho e a dos Ranchos. E a praia dos Ranchos é a parte mais tranquila, onde geralmente ficam as famílias.

Praia do Meio
Esta é a praia mais famosa e cheia de Trindade. Seu acesso é tranquilo. É por ela onde podemos fazer a trilha para chegar no Cachadaço ou pegar o barco para ir direto para a Piscina Natural. Nesta praia também existe a possibilidade de passear de stand up ou caiaque.

Praia do Cachadaço
É a praia mais bonita de Trindade e também a mais perigosa. Pela praia pode-se observar diversas bandeiras vermelhas, avisando sobre os perigos do local. Para chegar até ela é preciso pegar uma trilha, que começa na Praia do Meio, subindo a encosta. A trilha é bem tranquila com corrimão de madeira e degraus feitos com pedras e raízes de árvores. São cerca de 15 minutos de trilha sem grandes obstáculos, mas cuidado com os dias chuvosos, pois o local fica cheio de lama.

Piscina Natural
Para chegar a Piscina Natural é necessária fazer mais uma trilha. Achamos essa trilha uma pouco mais difícil que a anterior. A trilha dura cerca de 20 minutos mata adentro. Como já foi citado, também é possível chegar ou sair deste local de barco. O barco tem o valor de R$30,00 (para ida e volta) ou R$15,00 (para quem deseja apenas a volta).


DOMINGO
Para fechar o passeio em alto nível, fomos passear de Escuna. Existem diversos tipos de circuito, escolhi o que passa pela Ilha Comprida, Praia da Lula, Lagoa Azul e Praia Vermelha. Além de ser o circuito mais famoso é o que tem mais elogios pela web.

Foi uma viagem inesquecível. Viajar em família pode ser tão bom quanto viajar com amigos ou namorada (o), basta você se permitir a essa possibilidade. Curta a sua família, aproveite os momentos bons!

Vale do Alcantilado [Bocaína de Minas] : o tempo sempre está bom para a diversão

Bocaina de Minas é um pequeno município brasileiro do estado de Minas Gerais, dentro deste município está localizado o Vale do Alcantilado e, dentro deste vale, está localizado o Sítio de Cachoeiras do Alcantilado: principal ponto turístico do local.
airbrush_20161114185419O Sítio é uma propriedade particular que conta com uma sequência de nove cachoeiras. A sua entrada tem o valor de R$15 reais.

As cachoeiras são: 1 – Cachoeirinha, 2 – Poço da Areia, 3 – Poços das Raízes, 4 – Cachoeira do Açude, 6 – Cachoeira da Muralha, 7 – Cachoeira da Toca, 8 – Cachoeira da Gruta do Granito, 9 – Cachoeira do Alcantilado.
untitled-1-01Para conhecer todas as cachoeiras o visitante irá caminhar 1,5 km (3 km de ida e volta) em meio a uma floresta repleta de pássaros, borboletas e mais uma dezena de atrações. Quando fui ao local estava chovendo e, ainda assim, foi possível fazer o passeio, basta ter disposição, pois a trilha é muito bem estruturada com cordas e pontes.

No lugar também podemos encontrar a famosa Pastelaria do Alcantilado. Aproveitei pra experimentar o pastel de pinhão com queijo e, apesar de ter pedido meio receoso, tive uma ótima surpresa, o pastel é bom demais.

Museu Duas Rodas
airbrush_20161114185628
Dentro do Sítio existe outra atração muito famosa: o Museu Duas Rodas. É o maior Museu da América do Sul dentro deste quesito. O local fica aberto diariamente, das 09h às 17h, e tem o valor de R$19 reais para visitação.

No Museu você verá um grande acervo representado por diversos tipos de veículos. Alguns conservam todas as características originais dos fabricantes, outros tem o toque especial de famosos restauradores, dando características especiais a sua estética e potência. O visitante não só resgata os registros históricos da origem dos veículos expostos, mas revive também a história deles.

Se não puder fazer tudo, faça tudo que puder !

airbrush_20161114190157

 

Diamantina (MG): das cachoeiras ao carnaval

A cidade, que conta com aproximadamente 45.880 habitantes, tem uma estrutura belíssima que preserva um pouco da história do Brasil. É um lugar repleto de lindas igrejas, centros históricos, parques, museus, e principalmente com incríveis cachoeiras e com uma das melhores festas de carnaval do país.
10881932_752248948189574_2071464011795512491_nO único ponto complicado da viagem é a distância. Como moro no Rio, tive que pegar um ônibus de quase 6 horas para BH e depois pegar outro ônibus que demorou quase o mesmo tempo para chegar a Diamantina.

O lugar é cercado por trilhas, cachoeiras, caminhos de pedra e recantos perfeitos para saborear quitutes da culinária mineira. Além de gastar muito pouco, me alimentei muito bem, conheci pessoas incríveis, rodei por todas as cachoeiras, e aproveitei um carnaval inesquecível (tão impactante que esqueci de tirar fotos da festa e da diversão, mas as belezas naturais estão sendo mostradas no post).

Entre as cachoeiras mais bonitas da cidade estão Sentinela, das Fadas, dos Cristais, da Toca e Três Quedas. As cascatas formam piscinas e poços de águas cristalinas, perfeitos para banhos.

Diamantina é uma cidade de estudantes, ou seja, são as repúblicas que movimentam a cidade e principalmente o carnaval local. O carnaval de lá além de contar com festas, shows e blocos localizados em diversos pontos da cidade 24h por dia, também conta com a festa ou Xurras particular de cada república. Então procure o lugar que tem mais haver com você, pois as festas  não param!
428065_267193203361820_1962736542_nDicas
Se estiver planejando ir na época do carnaval tente chegar com alguns dias de antecedência para conseguir conhecer as lindas cachoeiras e trilhas.

Todas as repúblicas parecem ser ótimas, mas irei indicar a república BellaDonna, que foi onde fiquei. Essa república além de ficar perto do centro, tem um pessoal muito divertido.

E a principal dica é: – Leve e use camisinha! Com saúde não se brinca!
desktop