Bravus Race, uma história de superação

Neste final de ano, resolvi encarar a segunda etapa Speed da Bravus Race no Rio, evento que se tornou popular pelo grande esforço necessário para concluí-lo. As provas da Bravus têm como inspiração os treinamentos militares e desafiam os competidores a testarem seus limites, o condicionamento físico e, ainda, superarem obstáculos com técnica e muita força. Resumindo, é um evento pesado para qualquer ser humano normal, imagina então se a poucos meses da corrida você estiver doente, preocupante, né? Vou te contar como foi minha experiência.

Tudo foi programado com muita antecedência, mas nunca imaginaria que a 2 meses do evento eu estaria doente e sem previsão de melhora. Graças a Deus me recuperei a tempo e consegui malhar por duas semanas para ganhar um mínimo de peso e condicionamento físico. Foram 5km de corrida com 15 obstáculos diversificados.

Tomei choque de 1000 volts, afundei numa bacia d’água congelada, escalei, escorreguei tentando subir uma rampa de skate, carreguei muito peso nas costas, entre outras mil coisas. E mesmo chegando desgastado, no final a recompensa foi gigantesca. Foram 58 minutos de muito esforço e superação.

Não poderia deixar de concluir este texto, falando que existem coisas que só tem graça se tivermos um grande amigo ao lado. Este é um daqueles eventos que te leva aos seus limites, mas também te dá a oportunidade de ajudar, apoiar e vencer com seus parceiros. Na Bravus, certamente passei por diversos obstáculos porque tinha um grande amigo me incentivando por perto, dizendo: – vai lá, você consegue!

Um irmão é um amigo que Deus lhe deu, um amigo é um irmão que seu coração escolheu.

Comic Con 2016: vivendo o épico

Um dos grandes momento da minha viagem a sampa foi a oportunidade de desfrutar do maior evento nerd do país. Escolhi em ir somente um dia, mas deu pra aproveitar bastante. Foi uma experiência surreal ver toda aquela galera sintonizada em viver uma experiência nova, com diversas atrações internacionais e brindes incríveis (filas grandes, mas proporcionais ao tamanho do evento).
15220094_1171124579635340_7237386190634737087_nA terceira edição da Comic Con Experience (CCXP) superou todas as expectativas, atraiu cerca de 196 mil pessoas e bateu o recorde de público que pertencia a New York Comic Con, que era de 167 mil pessoas. Com um crescimento de 80% em relação à edição anterior, o evento movimentou mais de R$ 18 milhões em comércio.

Grandes astros do cinema estiveram presentes no evento, como Vin Diesel e Milla Jovovich, que foram lançar seus novos filmes. Os artistas da televisão também ganharam espaço com a participação da atriz Natalie Dormer (Game of Thrones), Neil Patrick Harris (How I Met Your Mother e Desventura em Série), bem como todo o elenco da série 8 Sense, da Netflix.

Além de poder conferir todas as novidades do entretenimento nerd, também pude ganhar ótimos presentes de recordação (copo dos Simpsons e balde do Darth Vader), pude conhecer mais de perto alguns astros que admiro e também consegui fazer novas amizades.

Concordo com o slogan do evento, realmente foi um momento épico e, para quem gosta desse estilo de evento, indico a experiência.

 

Pearl Jam no Maracanã

O show do Pearl Jam no Maracanã, na noite de domingo (22/11), vai ficar marcado na história. A banda que já havia passado por diversos estados do país, guardou a sua melhor apresentação pro Rio de Janeiro. O grupo, que é formado pelo cantor Eddie Vedder , pelos guitarristas Mike McCready e Stone Gossard, pelo baixista Jeff Ament e pelo baterista Matt Cameron, além do tecladista havaiano Boom Gaspar, foram muito generosos com o público.
dsc_0333O evento, que teve aproximadamente 50 mil pessoas, começou de uma forma bem “morna”, pois além de ter tido 1 hora de atraso, iniciou a apresentação com a banda cantando “Oceans” que não é uma música tão popular. Entretanto, logo depois, o show começou a subir de nível de uma forma inabalável. A banda além de ter sido de uma simpatia incrível, tocou todos os seus principais sucessos como “Alive”, “Jeremy”, “Last kiss”, “Better Man”, entre outras.

A apresentação teve diversos pontos interessantes. Os que ficaram mais destacados na minha memória foram à apresentação de Edu, um fã da banda que teve oportunidade de cantar junto com eles (e mandou super bem), e a demonstração afetiva (em todos os momentos) pelos acontecimentos ocorridos na França, desde o bumbo da bateria de Cameron, que tinha uma Torre Eiffel, até o fato do vocalista cantar de uma forma linda a canção “Imagine”, emocionando a todos que estavam no lugar.

Além de tudo isso que já falei, eu preciso destacar a entrega da banda ao público. Cantar todos os sucessos é emocionante, mandar mensagens positivas é muito espirituoso, mas se entregar ao público é algo único. A banda se divertiu junto com a galera, e isso vai desde Eddie vestir um presente no meio do palco (sunga vermelha, rs), até o grupo tomar a cachaça ypioca saudando o público. Foi incrível!
dsc_0321