No ritmo dos Lençóis Maranhenses

Pense no paraíso… o quê lhe vem a cabeça?

Um lugar em que a paz é presente a todo instante, que a energia e as cores dos lagos e lagoas modificam-se de acordo com o brilho do sol, que a areia é tão branquinha que dá pra se sentir nas nuvens? Bom… se for isso, você precisa imediatamente conhecer os Lençóis Maranhenses. Uma viagem emocionante do início ao fim.
Claro que não será possível que você viva as mesmas peripécias que eu vivi, mas poderá compreender certas emoções seguindo um circuito similar. Existem diversas possibilidades de fazer o seu roteiro, eu achei mais prático fechar um pacote, como eu sonhava, com uma agência local: a Santos Turismo.

A minha viagem pode ser dividia em 3 etapas: Barreirinhas, as cidades vizinhas e os rios.

Barreirinhas
É a cidade protagonista da viagem. É nela em que fiquei hospedado e fazia as principais refeições do dia. Trata-se de um lugarzinho muito simples, com poucas pessoas, poucos comércios, poucas escolas, poucos restaurantes, mas com diversas agências de turismo.

Não estava dando muito valor ao pequeno município, mas, principalmente, por causa dos passeios comecei a ver a riqueza cultural e natural que existe neste local. Em Barreirinhas conheci o Rio Preguiças e os Lençóis Maranhenses, através do Circuito da Lagoa Bonita e da Lagoa Azul.

Os circuitos citados são os principais passeios do Maranhão e tem percursos bem parecidos. Os dois partem por volta das 14h, com o objetivo de finalizar com o pôr-do-sol; o trajeto é dentro de trechos bastantes acidentados, com muitos galhos passando rente ao carro; e a duração da viagem têm cerca de 1h. A grande diferença entre os dois passeios é uma duna, de aproximadamente 30 metros, que é necessário subir para chegar até a Lagoa Bonita. É super exaustivo mas, talvez seja por causa disso, que ela, para mim, possibilita a vista mais bonita de todos os percursos. É lindo demais ver todos aqueles lençóis lá do alto, chega a emocionar.

Vassouras, Caburé e Mandacaru
Conhecer as cidades vizinhas de Barreirinhas também foi uma ideia que deu bastante certo. Além de serem cidadezinhas super simples e lindas, a forma de chegar até elas foi bem empolgante, através das voadeiras, um barco de alta velocidade.

Em Vassouras tivemos a oportunidade de conhecer os pequenos lençóis e os macaquinhos ladrões de comida. Em Mandacaru subimos os 160 degraus do Farol de Preguiças para observar toda aquela belezura. E em Caburé rodamos as praias de quadriciclo (literalmente) e relaxamos nas redes.

Rio Formiga
Neste rio foi onde aconteceu o nosso último passeio. Provavelmente foi o passeio mais distante se comparado aos outros, mas, assim como todos, valeu super a pena as horas de percurso. Primeiro, por se tratar de mais um lugar encantador que conhecemos. Segundo, por fazermos todo o passeio sendo guiado por nativos. E terceiro, porque o passeio de bóia é super relaxante.
Afirmo que para mim foi bem complicado explicar uma experiência “gigante” como esta de forma sucinta. Tentei resumir o máximo possível, sem tirar o contexto da história, para conseguir contar tudo para vocês, sem ser maçante e chato. Espero que compreendam um pouquinho da sensação que tive, pois nesta trip aconteceu, novamente, algo que eu sempre falo: – Entre os sonhos possíveis, o melhor é sonhar acordado. E eu sonhei.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s